Passagens aéreas e custos de viagem

Muitas pessoas me perguntam sobre passagens aéreas e custos de viagem. O primeiro ponto importante é que viagem não é necessariamente sinônimo de luxo. Às pessoas acham que viajar significa não trabalhar, ter grana sobrando, e viver vida de rei. Não é bem assim. É claro que é possível trabalhar duro o ano todo, tirar alguns dias de folga e aproveitar pra se dar todo o luxo possível em troca. Algumas pessoas nem precisam disso tudo e podem simplesmente curtir um luxo a qualquer momento, mas a maioria só nas condições acima. Algumas pessoas não conseguem nem isso. Mas a minha especialidade, que desenvolvi desde a infância com as viagens com minha mãe e tenho especializado ao longo dos anos, primeiro sozinha e agora com o André, é o que eu chamo de viagem fuleira! E eu amo as viagens fuleiras!

Meu lema é ir sempre mais longe e por mais tempo!

Mas isso é uma opção pessoal. Não estou “vendendo” esse estilo. Acho que cada um deve viajar da forma que lhe convém, dentro do orçamento que cada um pode. Eu prefiro esticar meu tempo e dinheiro o máximo possível. Para isso, existem técnicas! E vou compartilhá-las porque mais gente pode se beneficiar também.

O primeiro passo é organizar sua rotina normal, fora da viagem e descobrir de onde dá pra cortar gastos, criando uma poupança-viagem. A minha preferida é comer em casa! Comendo em casa eu garanto muitas vantagens: alimentação real, saudável e mais barata. Comer em casa sempre sai um pouco mais barato do que na rua e com um pouco de planejamento sai muito mais barato. Uma alimentação baseada em vegetais e grãos também faz milagres! (Pra saúde e pro bolso!). Pesquise feiras e mercados, compre frutas e vegetais da estação, esqueça as bebidas industrializadas, elas são sempre o mais caro. Faça tudo em casa, sucos, sopas, chás gelados caseiros, e ande com suas garrafinhas! Tenha sempre água na mochila ou bolsa, isso vai te garantir uma economia bruta no fim do mês, além de ser muito mais saudável.

Outro ponto na rotina é trocar os deslocamentos próximos para a pé! Deixe o carro em casa, pule o ônibus e vá a pé sempre que puder. Saia mais cedo. Volte mais tarde e já garanta o exercício do dia. Sei que em muitas situações não é possível, por conta de clima, horário, segurança, distância, etc, mas faça os que puder. Já vai fazer diferença no bolso e na saúde. A terceira é cortar gastos com comidas e bebidas que não são essenciais. Essa é a mais difícil e polêmica, vou deixar como uma dica e não me levem a mal. Confesso que se colocarem no papel o custo de bebidas alcoólicas, cigarros, excesso de doces, e outros do tipo, vão perceber que muitas vezes eles pegam uma parte significativa do orçamento mensal, e da sua saúde. Mas sem radicalismos. Veja o que é bom pra você. Eu, por exemplo, não abandonei o açúcar ainda, (embora os demais sim). A ideia aqui é você “limpar” seu orçamento de gastos supérfluos e guardar uma graninha a mais!

Outro ponto é desde o começo do ano planejar seu calendário e organizar as folgas. Quem trabalha freelancer ou autônomo tem como se planejar pra folgas maiores, mas o planejamento precisa ser mais bem-feito, porque deve incluir guardar mais dinheiro. Quem tem emprego fixo vai precisar organizar bem o calendário, juntar com feriados, emendar e outras artimanhas, mas é sempre possível, desde que feito com antecedência. Eu geralmente indico que a poupança-viagem seja separada da poupança regular, assim, caso você tenha algum contratempo, imprevisto com carro, gasto a mais, pode optar por mexer na poupança e manter a viagem intacta ou o contrário. Claro, nem sempre isso é possível, mas ter o dinheiro separado especificamente para viagens ajuda muito o planejamento. Outra dica é evitar as dívidas. Em vez de jogar tudo no cartão parcelado e depois se enrolar e nunca conseguir viajar, guarde antes. Isso evita muita dor de cabeça e torna os sonhos mais concretos.

Em relação a viagem propriamente dita, um dos truques é começar já economizando na passagem. Geralmente encontro boas promoções e a melhor até agora foi a última, fizemos São Paulo – Barcelona, por US$150,00 o trecho, em voo direto pela Latam, com refeição vegetariana e tudo! Para as passagens, roteiros e hospedagem minha dica preferida é seguir outros blogs de viagem e vou citá-los aqui:

Passagens Imperdíveis

Quanto Custa Viajar

Melhores Destinos

Mochileiros

Hostel World

Booking

World Packers (onde você também pode trocar habilidade por acomodação)

BlaBlaCar (tem uma terminação do site para cada país, e é de caronas compartilhadas)

World Nomads (site primordialmente de seguros para viagens, mas com dicas também)

Decolar (esse muita gente conhece, mas poucos sabem que é possível criar um alerta de passagem, com seu destino preferencial, e receber por e-mail diariamente o menor valor do dia, assim da pra ter um bom acompanhamento de altas e baixas nos preços das passagens)

Um site que na verdade é sobre um empreendimento de vida e vou deixar como sugestão, para que vocês acompanhem, se surpreendam e descubram outras formas de viajar é o Livre Partida

Outro é o Walk Across Europe, que conta uma aventura fantástica e ainda mais radical.

Recomendo seguir as páginas nas mídias sociais dos sites de passagem e fazer o alerta do Decolar.com para e-mail. Caso prefira ir de carro, usar o BláBláCar pode ser uma boa. Tentamos em janeiro do ano passado, indo pra Floripa e depois pra Porto Alegre, mas acabamos não conseguindo por mudanças de dia/horário da viagem, e acabamos fazendo de ônibus. Para quem não conhece, é um site de caronas coletivas, ou seja, você registra pra onde vai, quando gostaria de contribuição em dinheiro para gasolina e quantos lugares vazios possui no carro, além de outros detalhes, como quanta bagagem pode levar, se aceita fumantes no carro ou pets. Aí as pessoas podem acessá-lo e caso ambos aceitem, podem trocar mensagens por whatsapp ou sms e combinar a carona. Você pode tanto oferecer a carona como procurar por uma no site. No Brasil ainda não é tão difundido, mas tem mais opções do que parece. Caso vá de ônibus eu sempre prefiro pegar a estrada à noite, assim você economiza uma noite de acomodação e não perde um dia de passeio. É cansativo, mas faz parte desse estilo de viagem, low cost.

Uma vez que a passagem esteja garantida, o próximo passo é pensar em acomodação. Consegui bons hostels e campings pelo Booking.com, e uma das maiores vantagens é ter o app e poder cancelar sem custo até 24h antes do check-in na maioria dos casos. Não tenha medo de se hospedar em hostels e campings, o pessoal que frequenta está acostumado com esse tipo de viagem, ajuda os novatos e recebe bem, e todos tem muito espirito coletivo. Esteja preparado para abrir mão de individualismos, os banheiros são coletivos, separados em homens e mulheres, mas geralmente muito parecidos com os de ginásios esportivos e academias. Muitos possuem também cozinhas coletivas, e esse é outro diferencial para fazer uma viagem de baixo custo, abrir mão dos restaurantes famosos! No caso dos hostels, muitos aceitam trabalho em troca de hospedagem, especialmente se for por uma temporada completa, e não alguns dias. No site do World Packers tem mais sobre isso. O Airbnb – https://www.airbnb.com.br/ pode ser uma boa opção também, especialmente caso vá com uma família grande ou grupo grande de amigos, e nesse caso o valor de uma casa ou apartamento dividido fica menor do que o da diária de um hostel ou camping, mas para até duas pessoas dificilmente compensa, se bem pesquisado. Acima disso já vale a pena.

Caso queira passar um tempo trabalhando fora, existem outras opções, como AuPair, Work Away e outros sites similares. Esses fogem da ideia de férias convencionais, e são mais para quem quer ficar uma temporada fora, conhecer outras culturas, conseguir acomodação e ficar pelo estrangeiro, ainda que trabalhando. E saiba que vai ter trabalho sim, e a remuneração é a hospedagem e (parte da) alimentação.

Uma outra opção, ainda mais baixo custo é o free-camping, ou seja, acampar em áreas que não são privadas e, em contrapartida, sem infra-estrutura. Nesse modelo contente-se com um banho de rio e uma fogueira, se muito. Para poucos dias pode ser muito divertido e barateia bastante a viagem. Outra opção é dormir no carro. No Brasil pode ser perigoso em muitas cidades, mas em rotas turísticas famosas, como Patagônia, Oeste do EUA, Caminho de Santiago de Compostela, e outras é mais comum. Para conhecer mais experiencias desse tipo leiam o post sobre o Pico da Onça do blog, e os blogs da Livre partida e Walk Across Europe!

Planejamento da comida é essencial. Caso o hostel ou família que o abriga (host family) ofereçam café da manhã, aproveite. Se não sentir muita fome pela manhã, embale e leve como lanche. Geralmente em viagem eu não almoço, no sentido tradicional de almoço grande e sentada normalmente à mesa, para economizar tempo de passeio e dinheiro. Costumo ir ao mercado local e comprar coisas para sanduíche, frutas, frescas e secas, sementes e castanhas, barrinhas de cereal, de frutas e de proteínas isolada, e taco tudo na mochila. Esses são meus lanches ao longo do dia. A noite procuro comer algo mais tradicional, especialmente se puder cozinhar. Geralmente em hostels e campings isso é fácil. O segredo é comprar coisas que deem sustância e energia para ir gastando no dia seguinte. Como ao longo do dia os lanches são mais leves, geralmente faço arroz com vegetais ou macarrão à noite, comidas que também são práticas para a fogueira. Geralmente evito “carne” de soja, mas em viagens curtas, especialmente camping, costumo levar, pois existem muitas opções enlatadas o que facilita e não requer fogo para serem preparadas. Nas viagens de free-camping geralmente levo algo como grão-de-bico e feijão em conserva e comemos frio mesmo, pois nem sempre dá pra garantir que vai sair uma fogueira.

Eventualmente vale a pena ir a um restaurante, especialmente se for algo único que não encontramos em outros locais, mas se render a fast-foods e restaurantes de redes tende a ser a pior opção, pois acabamos gastando muito e comendo mal. Comida de rua pode ser uma boa pra conhecer melhor a cultura local, mas os de estômago mais sensível podem sofrer com isso, e nos locais mais turísticos nem sempre é tão mais barato assim. Os lanches pre-preparados fazem muita diferença, e ande sempre com muita água. Evitar comprar água mineral em todo canto também da uma ajudada nas despesas. Lembre-se sempre de encher as garrafas de água onde estiver hospedado antes de sair pro dia.

Em viagens eu desligo o roaming do celular. Acaba com a bateria e com os créditos/conta. Se for pro exterior, compro um chip pré-pago local. E só uso pra emergências. Deixo pra me atualizar, dar notícias e postar fotos quando tenho Wi-Fi disponível. Geralmente acabo usando muito para ver mapas e localização, o que consome horrores de crédito, então existem algumas dicas nesse sentido. A primeira é comprar um bom e velho mapa do local em papel. Isso ajuda mais do que parece! A segunda é usar a opção de mapas offline, que consome memória, mas não bateria e internet, e já deixar os pontos que quer visitar salvos como favoritos no mapa offline no seu celular, o google maps oferece isso de graça.

Aliás, sempre gosto de viajar com o google maps antes de ir de fato. Ver o street view, já ter uma noção de como é a rua e a fachada do local onde vou me hospedar e dos endereços onde quero ir, assim, tendo esses anotados e na memória, ou no screen shot a vista de como se parecem, ainda que me perca, consigo achar os locais onde queria ir. Ainda não testei o uso de GPS para as trilhas e tenho muita vontade, mas fica pra quando comprar um. Para mapas, além do google maps, recomendo o wikilocs, especialmente pra offroads e trilhas, já mencionado em outros posts de trilhas aqui no blog.

Viaje leve! Em todos os sentidos. Leve o mínimo de bagagem possível! De preferência em mochila(s) e não mala. Mala de rodinha é bom pra chão de aeroporto, shopping e hotel. Arrastar aquelas rodinhas por calçadas irregulares de cidades históricas, chão de barro em camping, é loucura. Além disso, se você leva pouco e carrega tudo sozinho, a chance de comprar besteira diminui muito, porque você não vai ter nem espaço nem força pra levar os souvenirs. Antes de ir se planeje para lavar as roupas em algum local da viagem e com isso, levar o mínimo. Leve peças que combinem entre si. Esqueça tudo que não for essencial. Um casaco impermeável  é sempre uma boa pedida, mesmo que não seja chique. Um bom tênis de caminhada também. Eu optaria por um impermeável aqui de novo. Garantir os pés secos e o vento fora do peito é um excelente jeito de não ficar doente e aproveitar a viagem ao máximo!

Por fim é sempre bom ter uma fonte de renda para emergências. Ou uma grana em cash que você vai costurar do lado de dentro da calça e esquecer ali, ou um cartão de crédito, ou os dois. É essencial ter um pouco de dinheiro de emergência em cédulas porque já vi muita gente sofrer, especialmente em cidades menores, por não encontrar caixa eletrônico disponível no momento da necessidade. Isso sem falar que feiras, entradas de parques ambientais e o pagamento de muitas hospedagens comumente só são aceitos em dinheiro.

Mantenha seus pertences essenciais, como documentos e dinheiro em uma pequena bolsa, tipo doleira, longe das vistas e dentro das calças. Se for dormir em hostels sem locker com chave, durma com a doleira presa na cintura. Se te roubarem outras coisas, pelo menos com o dinheiro e os documentos você fica e se vira, nem que seja pra voltar pra casa. Não fique tirando dinheiro de lá em público. Mantenha um trocado na carteira, bolso ou bolsa e o restante na doleira. Faça a transferência em locais reservados. Caso vá se molhar, andar de roupa de banho, etc, deixe seus pertences em local de confiança. Leve sempre um cadeado bom para poder deixar os itens no locker do hostel, ou camping.

No mais, aprenda a usufruir de experiências e não de coisas! Aproveite a paisagem mais do que as fotos! Leia sobre onde está indo! Informe-se! Visite com calma, vá em locais menos turísticos, converse com locais. Aprecie o por-do-sol. Ande a pé. Veja as cidades de perto, sinta seu cheiro. Compre ingressos de locais famosos com antecedência. Evite perder tempo de viagem em filas. E por último, use calçados resistentes e extremamente confortáveis!

A vida pode ser muito boa e também fuleira! Aprenda a ter prioridades. Não é só de táxi e hotel 5 estrelas que se viaja. Existem inúmeras opções e um tamanho para cada bolso. Planejamento é tudo! No mais, só a paixão por viajar sempre!

Advertisements

2 thoughts on “Passagens aéreas e custos de viagem

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s